PROJETO: Laboratório de Biocombustíveis Avançados – UNICAMP – Campus Campinas – SP

Implantado em uma área de expansão do campus, o edifício Laboratório de Biocombustíveis Avançados da UNICAMP – campus Campinas, foi projetado pela Graco em 2009, desde seu estudo preliminar até a finalização dos projetos executivos. O laboratório foi pensado para atender a uma demanda criada por uma série de pesquisas da Engenharia Química, na área de biocombustíveis e que contava, à época do projeto, com uma consultoria externa dada por uma empresa da área de combustíveis. Após algumas reuniões com o cliente e o consultor, chegou-se a um programa que consistia em: planta piloto, onde seriam armazenadas e trabalhadas as canas de açúcar, para depois seguirem para os laboratórios de pesquisa, salas de pesquisa e laboratórios, sala de reuniões, convívio e áreas de apoio e serviços, como sanitários, copa, DML (depósito de material de limpeza). Além dos ambientes citados, também foi feito um programa de necessidades para a área técnica externa: cabine de transformadores, cabine de geradores, cabine de resíduos e cabine de gases.
Com o programa de necessidades fechado, começamos o estudo preliminar definindo qual seria a melhor distribuição e organização dos ambientes, levando em consideração o terreno em declive localizado em uma esquina da quadra. A planta pode ser compreendida em quatro partes: no primeiro quadrante, temos a escada e um espaço que tem ambientes diferentes em cada pavimento (laboratório no térreo, quadros elétricos e servidores no primeiro pavimento e sala de reuniões no segundo); no segundo quadrante temos laboratórios e salas de pesquisa nos três pavimentos; o terceiro apresenta os sanitários e outro espaço com uso distintos em cada pavimento (vestiários no térreo, copa e DML no primeiro pavimento e convívio no segundo) e o quarto quadrante é ocupado pela planta piloto, com pé direito duplo. As entradas do edifício foram feitas em dois pavimentos: o principal, no pavimento térreo, e um outro no primeiro pavimento. A entrada de veículos e caminhões é feito também no pavimento térreo, para acessar a planta piloto e as cabines da área técnica externa.
Considerando os diferentes usos e instalações necessários para o funcionamento do edifício, que abrigaria tanto maquinário pesado, para cortar, triturar a cana-de-açúcar, quanto equipamentos delicados, para as áreas de laboratório, o projeto foi pensado de forma a criar uma unidade entre ambientes tão distintos. Sua estrutura foi projetada seguindo módulos que permitiam uma planta flexível em termos de uso, e o fechamento seguiu o mesmo raciocínio, sendo em alvenaria nas paredes externas e nas paredes internas à exceção das áreas de laboratórios e pesquisa, que tem seu fechamento em divisórias leves tipo “dry-wall”. Para garantir uma boa iluminação e ventilação, todos os ambientes contam com grandes aberturas, fechadas com venezianas com ventilação permanente tipo industriais na planta piloto e com janelas em vidro nos demais ambientes. A planta piloto ainda conta com janelas de vidro fixo em uma de suas faces. Para proteger da excessiva iluminação e ajudar no conforto térmico, na face nordeste foram especificados brises em aluzinc, e, na face sudeste, foram especificados paineis acústicos para isolar o som que seria produzido no manuseio da cana dentro da planta piloto. A altura entre pavimentos foi estipulada em 3,80 m, de piso a piso, e o pé-direito dos ambientes ficou estabelecido em 3,00 m, criando um entreforro alto para passagem de instalações elétricas, hidráulicas e mecânicas. Para as instalações também foram criados shafts visitáveis, importantes para a manutenção das redes e equipamentos necessários para o funcionamento da edificação.

Ficha Técnica:

Cliente: Universidade Estadual de Campinas
Ano: 2009
Área: 1247,70 m²
Local: Campinas – SP
Estudo Preliminar: Graco Projetos, Empreendimentos e Construção Ltda.
Projeto Executivo e Coordenação: Graco Projetos, Empreendimentos e Construção Ltda.
Arquitetura: Arq. Caio Graco Hortenzi Vilela Braga (Arquiteto Responsável e Coordenador) – Arq. Nora Cappello, Arq. Renata Gobato Buffa (Desenvolvimento)
Diana Camargo (Estagiária)
Estrutura/ Fundações: Eng. Wilson Jorge Marques
Instalações Elétricas: Eng. Valdecir Gonçalves
Instalações Hidráulicas: Eng. Carlos Roberto Ramos de Andrade
Instalações Mecânicas: Eng. Luis Eduardo Martins
Maquete Eletrônica: Marco Antonio d’Elia Junior

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s